sábado, 30 de outubro de 2010

Oba!
                Hoje tiraram a última sonda... ou dreno, era mais um dreno, eu acho. E já nem tava drenando mais nada mesmo.
                Aí no almoço eu resolvi testar algo mais comida mesmo. Tomei uma sopa, daquelas normais, com macarrão, frango e legumes. Mas não caiu muito bem ainda. Ficou meio que um desconforto na barriga. Tomei muito suco de limão, que esse desce legal. Mas ainda não tenho sentido muita vontade de comer não. Fico meio enjoado. Mas acho que é assim mesmo né, até tudo se entender aqui na pança. Logo mais já tiro a parenteral, é só terminar essa última bolsa aqui que já era. Mas estou tomando bastante água também, falam que é bom, então beleza. Liguei na cozinha e pedi 10 garrafinhas d’agua. E trouxeram 10 mesmo hehehe. Lembro que quando pedia exagerado assim no Sirio não traziam nem metade! O Dudu, quando ia dormir lá, falava pra eu pedir tipo uns 8 daqueles sucos de caixinha! Os caras nunca traziam! Aqui não, eles trazem o tanto que você pede!
                Mas aí por hoje é isso! Estou meio preguiçoso! A barriga tá meio que se manifestando bem ativamente! Enfim, não é um dia muito bom pra escrever muito. Ah, minha véia foi no supermercado pra comprar já uns rangos pra quando eu tiver alta. Vai que a gente recebe alta semana q vem mesmo né...
                E mais uma vez obrigado todo mundo aí! Adoro ler os comentários!
                Ah, e eu estou postando uma foto de eu comendo a sopa! Não tava muito boa não, dá pra ver pela minha cara de ânimo! Hehehe Mas é a primeira refeição em um ano né! A Jack que falou que queria ver e tal, e como não pode estar aqui, minha mãe tirou uma foto pra ela não perder essa!
                Beijo grande pra todos!


Aí, que beleza, aposto que todo mundo está com vontade dessa sopa hein! hehehe Mas é isso aí, agora é devagar  e sempre mesmo né! Vamo que vamo que o Taco Bell me espera!

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

E aí!
Então meu, hoje tem umas novidades! O pessoal aqui acho que foi com a minha cara! Acabei de voltar do meu role por aqui! heheh. A fisioterapeuta queria me ver andando pra me dar alta! Fui eu, ela e a minha árvore de natal – minha mãe chama assim meu tripé cheio de "brinquedos"! Aí a fisio disse que vai falar pros médicos que eu estou beleza.
                E mais cedo, tipo umas 11h, veio o Dr. Rodrigo. Estou cada vez mais fã desse cara! Além das habilidades profissionais, que tem que ser muitas pra fazer o que ele faz né, (ainda como se fosse simples – e ele tem 39 anos só!), ele tem muita facilidade de lidar com o paciente. E olha que tenho experiência em relação com médicos né... infelizmente heheh. Mas sério, o cara respeita sua situação, é gente fina, mostra sincera preocupação com cada coisa que você se queixa. Na verdade é difícil explicar o porque o cara é bom nesse sentido da relação médico-paciente, mas enfim, sei lá, ele ao mesmo tempo que é um puta médico (rolou até um jantar em que o governo de Indiana homenageou ele por serviços prestados!), é super humilde, sem frescura. Muito legal mesmo ter esse cara sendo responsável pela minha recuperação, fico bem tranqüilo. Aliás, uns dias atrás, ele veio me dizer que eu tava famoso aqui no hospital. Eu tinha sido o centésimo caso de transplante multivisceral aqui do hospital! Ele até falou, zuando, que eu deveria me preparar pra entrevistas e tal heheh. Ele acabou de vir aqui rachando o bico que uma das enfermeiras chegou pra ele e falou "e aí, beleza?" heheh eu que ensinei!
                Mas então, voltando, ele veio aqui cedo e fez aquele exame escope, da camerazinha no meu intestino. Aí ele falou que tá perfeito. Porque é o seguinte: o intestino tem nas suas paredes umas ranhuras, uns relevinhos, que são por onde são absorvidos os alimentos e feita a digestão. Quando o intestino está zuado, essa parede é lisa, tudo o que você come passa reto ali... diarréia. E ele, com essa camerazinha, me mostrou essas ranhuras estão lá, o que quer dizer que o intestino foi aceito aqui dentro... sou um bom anfitrião! E então me liberou pra comer comida mesmo. Posso comer frango, macarrão, purê de batata, arroz, essas coisas... falou pra evitar só coisas com muita fibra e derivados de leite. Mas animal né, já posso comer várias coisas sólidas, meu! E não só para degustar e depois ficar com a pele ardendo!
                Só que ainda não estou sentindo muita fome. Vamos ver hoje, mais tarde. Agora eu tomei iogurte (é derivado do leite mais pode, ele falou) e um suco de limão (aliás, o mais próximo de um suco de verdade que eu já tomei aqui!). Aí, agora pouco, o Rodrigo voltou aqui com outros médicos. Ficava falando “olha só como o cara tá bom, tá zerado!”. E agora a maior barbárie que eu ouvi hoje. Ele falou que já posso sair na 3ª. ou 4ª. feira que vem! É, ir pra casa mesmo, sair fora do hospital! Nem acreditei, meu! Vai ter completado 17 dias desde a cirurgia! Está acontecendo tudo muito rápido, estou impressionado, de verdade. A enfermeira disse que acha que é recorde!
                Agora começa pra valer a nova fase! Estou meio confuso até. Antes, eu não podia comer nada... agora eu tenho que comer! E, se você pensar que fiquei um ano assim, essa condição ficou meio que sendo o meu “normal” né... Eita porra! É muita novidade em muito pouco tempo. Sem querer dar uma de louco, mas se for pensar, eu não sou responsável pela minha alimentação a um ano né... colocam um tubo em mim e boa. Mas, nossa, acho que é papo de doido mesmo, porque ver um prato de comida como responsabilidade é demais. É que antes, em casa, eu tinha vontade de comer tudo, agora não estou com aquela fome, num tenho vontade de comida esses dias. Aí dá um frio na barriga. Mas acho que é porque ainda estou tomando alimentação parenteral e enteral, que me nutrem né.
                Mas meu, de qualquer forma, agora é o verdadeiro começo do fim do pior ano da minha vida! É, porque por melhor que seja isso tudo que está acontecendo, o fim mesmo vai ser quando tirar a bolsa de colostomia. E isso vai ser provavelmente uma semana, dez dias antes de voltar pro Brasil. Mas é isso aí, esse fim tá próximo. Mas nunca vou, nem quero, esquecer tudo o que aconteceu e está acontecendo... aliás, logo mais continuo a contar a epopéia né... um dia acabo de contar! heheh
                Ah, agora vou escrever o lance da minha vó. É tipo um poeminha. Eu digo “tipo” porque eu não manjo nada desses lances de métrica e tal, só tive vontade de escrever quando cheguei em casa, porque foi um lance muito forte ver a minha vó naquela “casa de repouso”, com um monte de velhinhos, assistindo Raul Gil. Lembro que cheguei na casa e falei que vinha visitar a D. Áurea, aí a mulher me apontou a vó, e eu falei "não, é Áurea a minha vó". Eu não a reconheci. Me senti muito mal por não ter reconhecido minha vó. Mas, de verdade, não dava pra reconhecer. É assim:
Seu mundo é inteiro um cuidado branco
Mas muito pequeno para alguém tão calejada
Seu coração bate, mas a cabeça ficou de canto
E sua alma se deita, de costas pra estrada

Meu olhar não encontra dela quase nada
Nem um sorriso, um brilho, um calor
Tudo isso é passado, qualquer prazer ou dor
Penso se ela apenas espera, cansada
Ou se ainda vive em emoções guardadas

É isso aí! Uma pequena homenagem pra minha grande Vó Áurea!

Um beijo pra todo mundo!

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Oba!
Então, eu sou ruim com datas, por isso não vou nem tentar usar o blog pra dar parabéns pras pessoas queridas que fazem aniversários. Mas é que hoje tem muita gente. O Dú, meu irmão, está fazendo 32 anos. O Pe, meu primo, eu não tenho certeza, mas acho que deve tá fazendo 34, né Pe? Parabéns pros dois aí! E a minha vó Áurea, que morreu há pouco mais de um ano, estaria fazendo 96 anos hoje! Imagina, 96 meu! O astrólogo que eu fui, um tempo atrás, disse que eu viveria até os 90... acho que está bom né! Na verdade, eu quero viver até quando eu lembrar o meu nome! heheh É, porque depois, ficar lá compondo a paisagem da sala durante a novela das 8, sem entender nada e ainda reclamando se mudam de canal... é perda de tempo né, prefiro ir logo ver qual que é a parada lá em cima!
Aliás, eu escrevi um lance pra minha vó quando a vi pela última vez, uma semana antes de ela morrer. Ela tinha acabado de chegar no asilo, estava longe já, não falava nem nada, mas acho que sentiu alguma coisa quando levei ela pra passear na cadeira de rodas pelo jardim da casa. Fiz um cafuné nela e ela “olhou” pra mim! Percebi que tinha sido a última vez que a via e, chegando em casa, comecei a escrever. Queria por aqui, como uma homenagem a ela, mas está num caderno lá em casa. Amanhã minha mãe vai lá buscar, aí eu escrevo. Ela vai gostar, eu acho! Grande Vó Áurea!
Bom, hoje eu fiquei meio de bode aqui. Agora passou a empolgação de ter saído da UTI. Mas tenho tido progressos pra me ajudar no ânimo. Já estou sem nenhuma proteção nos cortes. Já estão praticamente secos. Dizem que tiram os pontos em 21 dias... acho que mais uns 10 dias então. Aliás, nossa, quando terminar e tal, vai ter cicatriz pra todos os gostos aqui viu! Desde apendicite, passando por tumor nas costas, e um transplantezinho pra finalizar! Hehehe. Eu tava fazendo as contas hoje, porque uma enfermeira perguntou, nesses últimos 3 anos e pouco, me abriram (no sentido Curíntia da palavra!) nove vezes! E, sim, eu ainda tenho umbigo!  
E depois de amanhã devem tirar o cateter da nutrição parenteral. Eles estão já aumentando a nutrição enteral, que vai direto no estômago, e diminuindo a parenteral. Aí, tirando a parenteral, eu vou me alimentar só pela boca, normal, e pelo tubo direto no estômago, que chama G. J. Tube... quase G. I. Joe, vai! heheh boa essa vai, pra quem tava com saudades das minhas piadinhas boas! Ah, e me liberaram pra tomar banho de chuveiro amanhã... aí sim né!
É isso aí pessoal, valeu pelos comentários e pela força! Logo mais estamos todos juntos, aí é só alegria! Beijo pra todo mundo! E Claudete, libera a Marina logo aí meu, senão vai explodir! Queria ver a cara do João quando ela nascer... vai até cair a pinta!

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Faaaaaaaala

           Então, hoje foi um dia sussa, Acordei umas 8h30 com os médicos que vieram tirar mais dois drenos da minha barriga. Agora ficou só um, que é do lado esquerdo na altura do umbigo. Isso porque eles já não estavam drenando mais nada praticamente. É uma sensação doida a hora que tira, porque fica um pedação de dreno pra dentro. Ai o cara tira os pontos que o prendem a sua pele e puxa... vai puxando! E esses buracos cicatrizam-se sozinhos, não se dá ponto. Em dois dias nem precisa de curativo mais. E mais tarde, lá pro meio dia, tiraram o cateter da minha jugular, na garganta! Esse foi estranho tirar (apesar de toda cirurgia que eu fiz ter isso). A mulher fala pra contar até três, você prende a respiração, e ela puxa. Meu, tinha uns 20cm de tubo pra dentro... Barbárie! E nesse, acho que amanhã já nem coloco curativo novo.
                A maior diferença que isso faz é na hora de dormir, e pra me levantar. São menos coisas penduradas em mim, né. Muito boa a sensação! E já ontem me liberaram bebidas, tipo sucos, e gelatinas. Mas como eu acordei bem enjoado, meio com de barriga, hoje não quis por nada pra dentro. Só agora que estou tomando uma gelatina. O Rodrigo veio umas 11h e fez aquele exame de escope que eles chamam, que é o caninho com câmera no buraco da colostomia. Deu nada, está tudo bem, os órgãos estão todos certinhos. É bom, porque o que me deixa preocupado quando sinto dor, não é a dor em si, isso eu nem me importo. Eu fico é pensando se é alguma rejeição, infecção, enfim, qualquer coisa que possa estar saindo de errado, fora do previsto de uma boa recuperação. Aí quando ele falou que tava tudo belezinha, aí a dor que, me desculpem, mas a dor que se foda! Eu peço uns remédios aqui pra eles que não fazem muita diferença, mas beleza. O que importa é que o povo aqui dentro esteja se entendendo bem, rolando uma harmonia. ehheheh
                O que falta tirar agora são: o último dreno na região da barriga, que deve ser o próximo; o cateter da perenteral, onde eles tem muito medo de possíveis infecções; e por último tirar o tal do feeding tube, que o tubo que vai direto pro estômago e que me alimenta por lá. Já estou começando a aumentar a nutrição por esse tube e diminuir a parenteral. Aí quando tirar os dois, eu fico me alimentando só normal, pela boca. E por último, aí já vou estar pra voltar, tiro a bolsa de colostomia, que é parecida com a de gastro, mas fica do outro lado da barriga. Fica entre os 2 intestinos. E acho que já falei, mas isso é simples, nem tem operação nem nada, eles vão e fecham o buraco no intestino que fizeram pra por a colostomia e pronto. Aí só vão ficar as 340985105984258 cicatrizes pra contar a histórias! Eheheh
                E de resto estamos muito bem! Minha mãe deu uma passada em casa hoje. Está bem mais extrovertida no inglês, sem mais muito medo de errar. E ela, com aquele jeitinho todo bonitinho dela, já fez um monte de amizade. Uma vez, a mulher do caixa do restaurante não deixou ela pagar a conta, pois era muito cara e ela estava longe de casa e tal... “ai re, fiquei com uma verrrrgonha!” hehehe figura essa minha véia!
                E não deixem de escrever lá nos comentários! Eu e minha mãe adoramos ler! De verdade, é muito bom receber essas palavras todas de vocês!
Ah, tava esquecendo, antes de sair da UTI tirei uma foto com uma das enfermeiras mais gente fina, a Sarah. E achei engraçado que ela tem quatro filhos, e a diferença do mais velho pro mais novo é de 7 anos! Igual minha família! Legal, né! Na verdade a foto é uma homenagem nossa a todas as enfermeiras que nos atenderam lá, que foram muito atenciosas demais o tempo inteiro, mesmo nas épocas que eu só queria abrir a boca pra mandar a merda! heheh
Um beijo enorme pra todo mundo!

Essa é a Sarah enfermeira. E esse tubo do meu nariz eu tirei. Ia até o estômago, e também tirei esse lance que tá na minha garganta! Estou com uma cara de alucinado, mas é a alegria de estar saindo da UTI... tinha acabado de receber a noticia!
Ah, e a barba só faço quando voltar pro Brasil... o cabelo também!

domingo, 24 de outubro de 2010

VORTEI!!

Faaaaala!
             Primeiro, quero agradecer vocês por tantos recados esses dias que eu não pude escrever! Eu li cada um, mais de uma vez! Não tenho palavras, de verdade, pra agradecer e dizer o quanto cada um me emociona. Muito mesmo! Acho que ja falei isso, mas enfim, com certeza essa energia que vocês mandam é que me faz recuperar de cada processo chato desses que eu tenho que passar. Sério mesmo, não tenho dúvida nenhuma do quanto isso me ajuda, o quanto é importante... na verdade não importa o que eu sei ou acho disso tudo que vocês fazem sempre que preciso, mas sim o que eu sinto! É isso, eu sinto a energia, essa corrente! E acho que é essa minha qualidade, o que me fez atravessar cada uma dessas dificuldades que me apareceram e que vocês atravessam comigo! Obrigado mesmo, por menor que seja o que osignificado dessa palavra perto do quanto eu fico emocionado por vocês exestirem na minha vida!
Então, voltei a escrever. Mas, é difícil, vocês vão ver pelos erros de português já, porque eu estou enxergando pior, mto pior, mesmo usando óculos. E olha que eu reviso antes de postar, senão seria impublicável rs. Acho que é por causa dos remédios. Meu olho quase fecha de sono, e a cabeça para junto. Isso é chato, tenho muito sono durante o dia, e ele vai embora na hora de dormir..... puta saco, esse sono tá de sacanagem comigo! rs
E no fim acabamos não saindo ontem da UTI. Liguei todo empolgado pra Jack falando que ia sair, mas eles fizeram confusão no horário e aí ficou tarde e não tinha enfermeirapra tomar conta de mim no quarto do quarto (boa, linda!). Mas sussa, só de saber que eu iria sair já me deu uma energia nova. E o rolo foi o seguinte: aqui a pessoa pode ter alta a hora que for, mesmo que seja de madruga. No Sirio não, se não me engano não passa de 22h, no máximo. Então, aqui você fica na nóia de a qualquer hora também poder ir né, mesmo já sendo tarde. Aí deu uma frustrada quando, as 23h, a mulher falou que não poderíamos mudar mais aquela noite! Na hora eu fiquei bem irritado na verdade, porque o medico e a enfermeira deram certeza que eu sairia ontem, então você cria aquela expectativa né! Mas, no fim, até que essa foi a noite em que eu dormi melhor. Mas a gente deve tá indo daqui a pouquinho (são 9h da manhã agora). E agora to na na pilha pra ir logo pro quarto! Pode ser igualzinho aqui, mas só de mudar de ambiente já tá lindo!
Inclusive, vocês ontem entenderem errado na verdade. Eu vou sair da UTI, mas não vou tirar toda a fiozaiada ainda, toda de uma vez.. Vai sair uma parte boa, de coisas que me enchem o saco bastante, como aqueles plugs no peito (que controlam o caração... uns 5 sticks, daqueles coloridos). A fitinha no dedo pra medir a oxigenação e os batimentos cardíacos (é isso, né Dé?) que atrapalha digitar; E tiro também o lance de medir pressão do braço, que eu agora posso por a cada 4 horas, ao invés de ficar o dia inteiro com aquilo apertando meus musculosos braços.
Pronto, acabamos de chegar no quarto. Na verdade faz um tempinho, devia ser umas 18h do horário de Brasília (heheh). Bem mais tranqüilo do que na UTI. Deu um puta alívio sair da UTI, nossa! O quarto é bem legalzinho, tem um sofá cama mto bom pra minha véia. Tadinha, até se empolgou pra dormir hoje.... faz uns 3 dias que não dorme em cama. A minha também é melhor. Tirei os cabos que falei que ia tirar. Já faz uma bela diferença, consigo andar sussa. Inclusive tem aparelho de DVD no quarto. Aí a enfermeira me levou numa recepção onde tem vários DVDs pra assistir. Tudo de graça. Peguei uns quatro já! E fui andando até lá, num pega nada, só tenho que arrastar um tripé mas é levinho, não aquele trambolho que ficava preso em mim na UTI. Enfim, estou muito bem de ter saído da UTI, me animou bastante!
Até ganhei um presente ao chegar na UTI! Uma maquina de medir pressão! hahaah não deixa de ser presente, eu ganhei ué!  Eu estava pensando, vou ver se peço remédio pra dormir hoje. Claro que eu prefiro, mas depois pra parar de usar é foda... Quanto menos coisa tiver de química no corpo melhor. Lembro de que tive várias crises de abstinência nas voltas das cirurgias que eu fiz. Até acho que eles dão menos medicação pra dor e pra dormir aqui do que no Brasil. É, porque lembro que aí eu passava o tempo capotado, não sentia tanta dor igual aqui. Aqui sinto muita dor no lado do fígado. Parece que foi onde mais mexeu na operação.
Mas é isso aí, eu estou cada vez melhor, e agora sinto que vou começar a melhorar mais rápido. Foram dias bem ruins, muita ansiedade e mal humor, que não deixavam eu dormir, porque ficava procurando posição pra dormir e nada, nessas vão rolando umas dores nas costas. Mas também sinto que foram os piores dias e que agora é uma melhora sem volta! Eu nunca imaginei que estaria assim uma semana depois desse transplante. Os caras mandaram muito bem na cirurgia, viu meu! Eu estava com medo mas agora passou, estou bem otimista! E meu esquema é de metas menores né! hehehe Então estou ansioso por amanhã, quando tirou alguns tubos... nem sei quais exatamente, mas sei que eles fazem um exames pra ver se eu estou engolindo tudo certo, se o processo de digestão está funcionando, aí eles tiram alguns já. Parece que amanhã a noite eu já tomo água e depois alguma coisa parecida, tipo sucos e uns caldos, sei lá... gelatina... E vamo que vamo!
Até porque hoje eu comi uma bela de uma porcada já né! heheheh Vai curintia!

sábado, 23 de outubro de 2010

Nossa torcida funcionou!

Gente, o Rê vai sair da UTI hoje e vai pra um quarto, no quarto andar (essa foi uma piadinha no melhor estilo Renas!).

Se a gente continuar torcendo assim, daqui a pouco ele tá de volta comendo churrasco e tomando caipirinha.
Beijos.
Jack.

Revezamento no blog do Renas.

Aqui é a Jack, pessoal.
O Rê tentou voltar pro blog pra matar a saudade de seus fãs, mas foi difícil, ele ainda está muito sonolento e as letrinhas ficam embaçadas e as pálpebras pesam e... Pronto, ele volta a cochilar! Então, me pediu pra escrever e até deu umas coordenadas.

Hoje o doutor Rodrigo passou por lá e está tudo caminhando bem, em relação ao transplante e sua recuperação, tudo ótimo!

Talvez segunda-feira ele vá para o quarto e tire alguns desses "cabos" que estão conectados nele, o que seria muito bom pra ele descansar melhor e, aos poucos, recuperar-se por completo. Além disso, segunda ele volta, bem devagarzinho, a comer (água, sopas, migaus, papinhas, arroz... tacobell!), então, nosso amável Highlander quer que a gente torça muito. Eu falei que a gente nunca para de torcer.

Dona Sílvia e suas cruzadinhas passam bem (estamos aguardando as fotos, hein?) e com o reforço de Dudu e Seu Luiz, Indianápolis vai ficar ainda mais quente, aconchegante... Um verdadeiro lar.

Essa fase é mais cansativa mesmo. O corpo tem que concentrar toda sua energia na recuperação, cicatrização e tem que acolher os novos órgãos com cuidado e carinho, então, dormir é a melhor opção. A mente, o coração e o espírito ficam inquietos - os dele e os nossos - mas, eu penso que muito em breve, todos vamos poder dizer que "parece que foi ontem", que "passou muito rápido", que "nem dá pra imaginar tudo o que aconteceu", que "o Rê está muito bem" e que "é muito maravilhoso estarmos reunidos pra celebrar a vida"! Assim espero e sei que esperamos todos.

Por hora é só. Ele se fortifica ao ler os recados, ao receber tanto amor, energia e força.
É... devagar e sempre; quem espera, sempre alcança; devagar com o andor que o santo é de barro!

E pra animar o Rê, um Palavras Sábias de Ronaldo Fenômeno:
"Não estou tão magro, quanto dizem; mas também nunca estive tão gordo quanto disseram".
Boa, Ronaldo, boa!

Ah, quando o Rê voltar a escrever ele tem que contar a "história do fenômeno"...

Um beijo.
Jack.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

UM DIA DEPOIS DO OUTRO

Realmente o barato é louco e o processo é lento.

"Ansioso pra caralho para tirar essa fiozaiada que tá presa em mim" Renas.

Mas um dia de descanso do Renas, deu uma caminhada fora do quarto, mas a cama foi seu ninho de espera e serenidade para mais um longo dia. Um dia comprido por não dormir muito bem, muito fios, barulhos de máquinas fréneticas, que apitam a cada movimento, dormir em UTI é quase impossível.
O dia acaba passando muito devagar. Para os dois.
Mas o corpo tem seu tempo de cura próprio, diferente da nossa ansiedade.

As coisas vão bem, e o caminho está bem iluminado,
hoje fizeram novos exames e até aqui nenhum problema.
Tudo correndo como os medicos esperam.

Logo estaremos lá para ajudar o Renas e a Santinha nessa batalha, novos reforços: Seu Luiz e Eu próprio. Seu Luiz vai fazer todo o trajeto sozinho. Será que ele consegue passar por todas as escalas, umas 3,  passando por Rio, Caracas, Canada, falando Inglês, pegando tickets, Suitcases, taxi no airport e indo para o hospital? A Santinha já disse: "morro de medo de deixar seu pai viajando para fora do país sozinho".
"A Saga do Seu Luiz", uma historia para os proximos capitulos do Blog do Renas...

Beijos e Abraços,

Du

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Fala people!

Entao, foi com muita honra que recebi o bastao da filosofia Renastica da Santinha hoje!

Ela deve estar la tirando fotos das arvores com as folhas coloridas de outono para mostrar pra gente.

Eu liguei la hoje a noite para o celular do Renas, pelo skype.  Ele atendeu e disse : ‘liga ai mais tarde que a gente conversa’, o que na verdade quer dizer : ‘hoje nao...’.

Mas falei com a Santinha. Nao tem muita novidade hoje tambem nao. O Renas esta la na sua rotina de hospital, mais quieto, nao mais tagarelando como antes. Ele esta cansadao, nao vem dormindo muito bem, ha dois dias nao consegue dormir direito. Isso porque ele esta ligado a um monte de fio por todos os lados e assim nao tem como achar uma posicao para dormir. E tambem na UTI tem enfermeira entrando a cada minuto, aparelho que apita... nao ha como descansar direito.

Mesmo assim ele ainda foi dar uma andada pelo hospital, a Santinha me falou.

Mas depois desse fim de semana ele ja vai para o quarto, ja tira uns fios e ai vai... soh melhorando, soh alegria !

Ele deve estar tambem soh no pensamento profundo, absorvendo a sua epopeia ate esse momento. Que jornada. E sempre com a mente tao impressionantemente boa.

Eu estive la, fui leva-los para ter certeza que ficariam bem. Sao PauloMiami – Charlotte – Indianapolis.  Viagem cansativa mas bele, chegamos! Fiquei uns 8 dias soh, mas foi suficiente para checar o flat, ver o que rola na area, ver onde ficam os supermercados, ver como o transporte funciona e tal. Para deixar a Santinha mais segura e tranquila.

Mas eh isso ai galera.

Realmente eh impressionante o carinho de voces com o Renas e a Santinha. Muito emocionante mesmo.

E vai curintia !

Beijos e ate mais

Stella

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

NOVAS NOTÍCIAS!

Sou eu outra vez!
Enquanto o Rê não voltar a escrever, vocês vão ter que me engolir! hehehe
Bom, hoje não tem nenhuma grande novidade... O Rê não dormiu bem a noite. Não esta mais falando sem parar, pelo contrário... não quer saber de muita conversa. Esta se sentindo mais cansado, com muito sono... mas isso também esta dentro do esperado. Como disse o médico, o transplante é um processo, a cada dia é dado um novo passo... e até agora o Re esta dançando direitinho, bem dentro do ritmo! heheh
Pensando bem, é uma coisa muito louca o que foi feito,trocaram quase todos os órgãos... Só ficaram o coração, os rins e os pulmões né! Mas é uma cirurgia que eles já fizeram bastante, o que nos dá segurança de que ficará tudo bem. O pessoal todo daqui é muito atencioso, são bem carinhosos com ele, estão sempre atentos a tudo.
O tempo aqui esta mudando, já está começando a esfriar, a paisagem está bem diferente de quando nós chegamos, as árvores, que estavam todas bem verdinhas, começam a mudar de cor. Algumas estão ficando todas amarelas, outras laranja, outras vermelhas, outras cor de vinho.... as cores do outono... e as folhas vão caindo. Então o chão fica forrado de folhas coloridas!! É muito bonito, até emociona. Amanhã vou tirar fotos pra vocês verem!

Por hoje é isso!

Beijos,

Silvia.

terça-feira, 19 de outubro de 2010

MAIS NOTÍCIAS!

Bom gente, hoje sou eu!

Não sei se vou conseguir passar o que estou sentindo com todo apoio, força, carinho, amor, energia, orações de todos vocês. Isso tudo me emociona demais!
Cada recado deixado aqui tem me ajudado muito. Vocês nem imaginam o quanto!!
Em nenhum momento eu me senti sozinha aqui, apesar de estar tão longe, só entre
pessoas estranhas. Vocês estavam sempre comigo. Eu nunca me senti tão querida.
Nunca vou me esquecer disso, e por mais que eu agradeça, nunca será suficiente mesmo! Vocês estarão sempre no meu coração!
Agora, as noticias do dia:
Hoje foi feito um primeiro exame no intestino novo. O medico enfia um cano com uma câmera na ponta pelo buraco da bolsa de colonoscopia que ele pôs na barriga (que fica até o intestino voltar a funcionar direitinho) e vai filmando tudo por dentro. Aparece em uma telona grande as imagens e a gente pode assistir. Estava tudo bem, dentro do esperado. O medico tirou um pedacinho pra fazer biopsia. Foi ate engraçado,porque tem um pessoal aqui, são dois medicos e duas enfermeiras do Hospital das Clínicas, que estão aqui para conhecer mais sobre esse tipo de cirurgia, que eles pretendem implantar no Brasil. Estão acompanhando o Rê desde o dia da cirurgia.
Aí eles estavam aqui pra assistir ao exame, então ficouum monte de gente aqui no quarto, essas quatro pessoas, mais outros dois médicos daqui, mais a enfermeira do Rê, mais a coordenadora Lauren. Ai o Rodrigo até brincou, falou pra cobrar ingresso  de quem quisesse assistir ao exame, pra ajudar a pagar os custos do transplante!
Essa noite ele já dormiu melhor, tomou um remédio pra ajudar.
Hoje tomou aquele banho de gato, na cama mesmo.
Fez fisioterapia. Como ele ainda está ligado em muitos fios, drenos, sondas, não pode sair andando, então ficou em pé simulando uns passos, mas parado.
Ele pediu pra falar que leu todos os recados, não escreve porque estás com os braços meio dormentes ainda.A gente sempre ri ou chora com cada um deles dos comentários!

Um beijo e mais uma vez obrigada a todos!

Silvia.

GRANDE TIO PAULINHO!!!

video

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

BATENDO O MAIOR BOLÃO

Boa Pessoal,

Tenho a honra de receber o bastão da sabedoria Renástica,
que vem rompendo fronteiras, crenças e religiões, em busca do verdadeiro valor da vida.

Falei com ele de manhã, ainda estava deitado, cansado de uma noite mal dormida, ou nada dormida. Sua cabeça pulsa pensamentos diversos, uma noite cheia de imagens que chegavam a ser assustadoras, então ele preferiu ficar de olhos abertos. Quando fecha os olhos algumas imagens voltam. Parece bastante com as imagens que teve na epopéia parte 1, pelo menos foi como reconheci.

Seu braço esquerdo está meio anestesiado, não sabemos bem o motivo, o médico diz que ele passou a cirurgia todo encima daquele braço ou algo assim.
A morfina, grande parceira na luta contra a dor, acaba deixando ele bem doidão, como diria ele, "Com barato ou sem barato", dificulta bastante a visão e a coordenação dos dedos, e também dos pensamentos, por isso ainda não voltou para o Blog.

Minha mãe contou que ele não para de falar, entra as enfermeiras e ele não para de conversar com elas, a explicação dele é que ontem(primeiro dia) ele tava com muita dor então tomou muita morfina e ele acha que ela é misturada com algo que deixa a pessoa em mania, "Deixa a gente Bicudo".
O menino tá cheio de vida, maravilha.

O Renas incrivelmente nunca se viciou em morfina, durante o processo ele tomava doses pesadas de morfina, lembro uma vez que fomos juntos tomar uma dose e a enfermeira falou que nunca viu uma pessoa tomar uma dose daquela e sair trocando idéia.  Ele tem uma consciência dos limites dele, o momento de começar e o momento de parar.

Agora pouco falei com ele de novo, umas 23h aqui,  já estava sentado em uma cadeira com as costeletas bem arrumadas no maior estilo cinema russo. Já bem melhor de dores e coisas do tipo, tentou sua primeira investida no processo de recuperação: a saída da cama e ida para a cadeira. Boa Muleque!!. E hoje vai ter a primeira dose da nutrição enteral, que é uma intermediária entre a parenteral para a normal. Maravilha Pura. Só no melzinho.

O Rodrigo, o mestre dos transplantes, e novo Santo protetor da familia, passou lá hoje, disse para eles que foi ótima a cirurgia, correu tudo bem, os orgãos eram muito bons, e que estamos indo bem. O Renas falou que agradeceu muito ele, tipo: "desculpa os termos mas você é foda",
"Lá em casa você é Rei".

Hoje a Santinha vai para a Casa descansar de mais uma maratona de dormir na UTI.

Ele terminou a conversa falando para eu deixar um recado:

"Estou lendo todos os recados do blog, e que agradeço muito a força da galera, estou lendo tudo que escrevem para mim lá, e mais uma vez a gente conseguiu, eu e todo mundo, que todo mundo me ajudou, e que eu nunca imaginei que estaria assim 48 horas depois da cirurgia, achei que agora eu estaria babando pelos lados, rs."

Bom é isso,
abs

Du

domingo, 17 de outubro de 2010

Mais notícias...

Pessoal, a cirurgia foi o máximo, terminou antes do previsto, não houve nenhuma complicação. Ontem mesmo, os médicos já começaram a desentubá-lo e ele dormiu bem.
Hoje ele está descansando e eu consegui falar um pouquinho com ele que, mandou um beijo pra todos, disse pra eu não deixar de dar notícias por aqui e agradeceu as orações e vibrações positivas. Agora ele deve estar dormindo, por esses dias ele vai ficar muito tempo dormindo por causa dos remédios e aos poucos ele vai voltando ao dia-a-dia normal.
O processo de recuperação total é lento, como já sabíamos, mas pra quem agüentou firme esses quase três anos, como ele, uns poucos meses serão tranqüilos!

É isso. Está tudo muito bem e, finalmente, essa fase difícl está terminando.
Um beijo. Jack.

sábado, 16 de outubro de 2010

Últimas notícias, direto de Indianápolis!

Como prometi: a Dona Sílvia me ligou umas 13 horas dizendo que tudo estava correndo muito bem na cirurgia e, agora acabei de falar com o Daniel - irmão do Rê - e ele disse que a cirurgia já está no fim (bem antes do previsto, né?!), que correu tudo bem e que, daqui a pouco ele vai descansar na UTI.
Acho que ele deve ficar dormindo um tempo.
Ele agüentou firme e forte como sempre e daqui a pouco deve voltar a escrever aqui pra alegria geral.

É isso. Muito obrigada pela força.
Um beijo. Jack.

Na torcida pelo Rê...

Pessoal, aqui é a Jack. Agora - 07:15 de sábado - o Rê foi pra cirurgia, finalmente!
Vamor torcer, rezar, mandar energias positivas, bons pensamentos, enfim, cada um a sua maneira, vamos nos unir pra que tudo dê certo: pra que os médicos tenham calma, atenção e carinho e realizem a cirurgia com sucesso, pra que o Rê tenha tranqüilidade na mente, no coração e no espírito e que sinta cada um de nós ali, com ele.
Que a guerreira Dona Sílvia também nos sinta por perto e tenha muita paz, porque a ansiedade nesses momentos é grande.

É isso: vou atualizando sempre que souber de algo novo, como ele me pediu. A cirurgia tem, aproximadamente, 15 horas, então, só lá pelas 22:00 de hoje é que ele vai pro quarto descansar e se recuperar para o famoso e aguardado "taco bell"! Mas, assim que tiver notícias coloco aqui.
Avisem pra todos que não acompanham o blog pra nossa corrente ficar ainda mais forte.

Agora é contagem regressiva pra festa de boas vindas do Rê aqui no Brasil pra celebrar esse milagre. E que ele volte logo, com seu sorrisão pra uma vida longa com muita saúde, amor, felicidade, força... E a amizade e carinho de todos que ele considera tão importante.

E, como diria ele, vai curíntia!!!!
Um beijo.
Jack.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Acho que chegou a hora!!!!

                Hoje a gente veio no hospital pra uma consulta com o Dr. Lacerda, de novo. A cada duas semanas a gente vem, é daquelas consultas de rotina. Depois da cirurgia fomos tirar sangue pra controle da parenteral. Aí a gente tava já pra ir embora e veio o Dr. Lacerda dizer que tinham achado um possível doador! Que era pra ficarmos aqui no hospital! Ainda não tinha a confirmação se os órgãos são todos bons. Mas esse doador tem 1,80m e 70kg. Magrelo igual a mim. O sangue é compatível. É novo, tinha 17 anos.
                Aí eu estou aqui na espera da confirmação. Fiz já um monte de exames, de coração, se sangue (devem ter ido mais uns 15 tubos... agora já perdi a conta! rs), de urina... É uma sala grande, com várias camas e vários pacientes. A maioria na espera pra transplante. Inclusive já fiz amizade com a mãe do moleque aqui do lado. Aliás, a conversa começou com uma pergunta estranha. A mulher virou e “esse é seu primeiro transplante?” hahaha pô, como se perguntasse se era a primeira vez que eu engessava o braço! Parece que o filho dela fez tranplante, acho que de fígado, quando tinha 9 anos, e na época falaram que duraria 10 anos, ela tava toda orgulhosa que no fim durou 17 anos! Só falava disso, de quão bem sucedida foi a cirurgia... “faz tanto tempo a cirurgia dele que nenhum dos médicos que operaram está aqui mais, todos já se aposentaram!” dizia ela, quase feliz! Aí o cara vai “renovar” o transplante dele.    
               E parece que assim que confirmarem que tá beleza, que vai rolar o transplante mesmo, eu já vou pra sala de cirurgia e vai curintia!! Não vai dar tempo de escrever de novo antes, então vou ligar pra Jack e ela avisa aqui.  Falam que deve durar umas 15 horas a cirurgia! Eu estou bem... quando o cara falou, me deu um puta frio na barriga e vontade de chorar. Mas agora estou mais calmo. Eu vim pra cá pra isso né! Então vamo que vamo!

Beijo e abraço pra todo mundo!

E torce aí!

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

E aí
Então, eu ia sair ontem do hospital aqui, mas não rolou. E só pra não ficar confuso, deixa eu explicar um lance.... No cabeçalho do post, aparece 3ª. feira, né. É que eu escrevo a maioria das vezes de madrugada, antes de dormir. Então, a última mensagem que eu escrevi foi na 2ª. feira antes de dormir, umas 2h da manhã... por isso aparece 3ª. no post! heheh
                Mas voltando. Na 2ª eu tava bem e ia sair. Mas na 3ª acordei pior que nos outros dias. Vomitei um monte de vezes. E quando vomitava, a dor no abdome ficava bem pior e tal. Aí fiz mais uns exames, ultrassom do abdome, que mostraram que meu pâncreas tava beleza. Mas no exame de sangue viram que eu tava com os enzimas pancreáticos muito elevados, o que seria a causa de tanta dor e enjôo. Então fiquei mais esse dia lá, tomando remédios pros sintomas da pancreatite. Antes do fim da tarde eu já não sentia mais nenhum enjôo. E pra dor, eles instalaram aquela máquina de PCA, na qual você é responsável pelo quanto de remédio, no caso morfina, você vai receber. O médicos estabelecem quantos miligramas de remédio você pode receber em qual intervalo de tempo. No meu caso, seria 5mg a cada 10 minutos. Eles dão um tipo de uma bombinha, aí você aperta o botão sempre que achar que precisa, contanto que já tenha passado pelo menos 10 minutos. É bom assim, porque aí você controla sua própria dor.
                E hoje já acordei bem melhor. Dormi pra caramba! Só acordava quando vinham os médicos conversar e tal. Já não sentia mais aquela dor, o enjôo também melhorou bem. Aí os médicos deram alta e começamos a agilizar pra ir embora. Eles receitaram uns adesivos que você pôe na pele, que têm o mesmo efeito da morfina. Cada um dura três dias, e a gente trouxe dois, além de um que eu já coloquei. Quando tava tudo pronto, era só sair... a borseta começou a vazar! Puta saco, fui tomar um banho pra trocá-la. Depois só tomei mais um remédio pra enjôo e viemos embora. A gente chegou era umas seis e meia!
                Mas teve um lado bom esses cinco dias internado. Conhecemos a estrutura do hospital, que é muito boa, a equipe de médicos (hoje de manhã entraram uns oito eu acho! Nem cabia quase!) e uma parte dos enfermeiros. E nesse 4º andar ficam só os pacientes de transplantes. Eu achei legal lá, todo mundo é bem atencioso e tal. Inclusive, a minha mãe foi comer um dia a noite lá, e a enfermeira falou que ela tinha direito a um vale U$12,00, que dá e sobra pra comer bem. Gente fina a enfermeira né, porque a gente nem sabia! Eu aproveitei também pra treinar meu inglês! Falei um monte, puxava papo com todo mundo!  heheh
                Minha mãe falou com o Rodrigo ontem, e ele disse que estava bem cansado pois tinha acabado de fazer um transplante multivisceral igual ao meu. Ele disse, inclusive, que pensou que seriam pra mim esses órgãos, mas não bateu o tipo sanguíneo. O do cara era O e o meu é A. Essa foi por pouco, bateu na trave!
                Eu volto lá na 6ª. feira pra conversar com o médico e fazer um exame de sangue pra ver se tá tudo certo! A gente perguntou pros médicos se esse lance que eu tive podia atrapalhar de alguma forma a cirurgia, e eles disseram que não. Como foi no pâncreas, não tem problema, pois é um órgão que eu vou tirar na cirurgia mesmo!

                Aí então é isso! Agora já estamos aqui em casa de novo!

                Beijão e abraço pra todo mundo

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Faaaala!

         
          Então, amanhã eu falo dos sonhos. Camila, minha prima querida, de amanhã não passa... sério! heheh O problema é que eu falei tanto desses sonhos, que vocês devem tá achando que é um puta lance animal e tal né... heheh. Mas não, não é nada demais... é só mais uma parte da epopéia mesmo...
E eu até ia escrever a epopéia hoje, mas meu... deu muita preguiça heheh. É que esses remédios pra dor dão muito sono... Mas quase sempre isso é bom, na verdade. Porque a maioria das vezes que eu fico muito tempo internado, eu tenho dificuldade pra dormir... claro né, você fica morgando na cama o dia inteiro, sem fazer nada... não tem como ficar cansado e dar sono. Aí tomando esses remédios de morfina você não precisa de remédio pra dormir... ou seja, um remédio a menos! heheh. Mas quando eu estou com o sono beleza (tipo hoje), sem precisar de remédio pra dormir, e tomo morfina, aí dá muito sono, demais, de o olho arder e ficar pesado mesmo!
Hoje eu vou dormir aqui no hospital. Mas amanhã eu saio com certeza. O lance é essa dor que eu tenho sentido. E como eu não absorvo nada via oral, tem que ser remédio pela veia. E, por lei, a morfina só pode ser aplicada em hospitais ou consultórios, nunca em casa. Aí que o bicho pega... eu não posso ir pra casa enquanto estiver precisando de remédio. Mas eles arrumaram um adesivo, que durante 3 dias fica soltando morfina na pele! Tem o mesmo efeito da medicação intravenosa. Aí assim que acabar a parenteral amanhã a gente sai fora! Até porque, já deu pra conhecer bem o hospital! heheh Ah, mantive minhas contas, agora já são 54 tubinhos de sangue pra exames! Foda, quando você é sangue bom, todo mundo quer seu sangue, aí ficam arrumando uns exames só de desculpa! hehehe

É isso aí! Abraço e beijo pra todo mundo!

domingo, 10 de outubro de 2010

Opa!
Bom, então, ontem eu fiquei meio ruim. Acordei bem enjoado, com muita ânsia, náusea e tal. Aí também comecei a sentir dor na barriga. Como eu já havia ficado assim, eu logo me liguei que podia ser pancreatite. Foi o que rolou na última internação
Falei pra minha véia e ligamos pra Lauren, coordenadora, que é pra quem eu devo ligar em qualquer situação. Ela falou pra irmos pro hospital, na emergência. Aí chegando lá me deram remédio pro enjôo e pra dor. Fizeram exame de sangue e viram que as enzimas do pâncreas estavam elevadas mesmo. Mas não muito. E logo que eu tomei os remédios já comecei a melhorar. Mas como eu ainda estava com dor, resolveram me internar.
Aí hoje eu acordei com um pouco de dor ainda, mas bem melhor do que ontem. Logo  cedo o Dr. Rodrigo veio aqui. Marcou um raio x de abdomem pra conferir e mais um exame pra ver como tava o pâncreas. Decidiu então diminuir os lipídios da parenteral, que provavelmente era a causa desse problema. Precisava dar uma aliviada na nutrição pra ficar tudo bem. Então sussa, devo ter alta provavelmente amanhã, quando tirar a parenteral. E esse médico é muito gente fina, tranquilão, conversa numa boa... sem frescura! Acho que vou me dar bem com ele. Foi engraçado hoje que ele veio com uma equipe aqui no quarto, e claro que conversamos em português. Aí o pessoal da equipe ficava olhando um pro outro, com uma cara de “que língua doida essa que o Rodrigo tá falando!” rs.
Mas, na verdade, essas dores foram só uma desculpa pra conhecer os aposentos aqui do hospital! rs. É legal o quarto... menor que o do Sírio, mas beleza, é o suficiente. Já cama é bem melhor, cheia dos lances. De tempo em tempo, ela meio que dá uma tremida, tipo uma massagem, que é bom pra circulação do sangue e tal! Só não achei muito boa a “cama” da minha mãe! Claro que ela falou que é ótima né... desde quando ela reclama de alguma coisa que é ruim pra ela? Se minha cama é que fosse ruim ela ficaria toda preocupada, mas como é a dela... Tadinha, é uma poltrona que reclina... até que bastante, mas num chega a ficar retinha como uma cama. Mas o legal aqui é que é dentro de um campus universitário. A gente acabou de voltar de uma volta. É animal, muito bonito, com vários jardins e tal... Isso é muito bom porque, depois do transplante, é importante pra recuperação andar o máximo que der! E no Sírio era um saco, porque não tem parte aberta, nada... eu ficava indo e voltando dos corredores...
E o pessoal aqui é gente fina, todos tratam a gente super bem e tal. Tem uma losinha na frente da cama, onde eles escrevem o nome da enfermeira responsável por aquele turno, e o nome da enfermeira chefe do andar!
 Ah, mas o lance mais nada a ver são os restaurantes. O principal, a cafeteria, fecha as 16h30 e depois só abre as 23h30! E o outro, menor, abre das 15h30 as 19h30 e depois das 23h30 as 1h30 da manhã! Barbárie né, ou você janta antes das sete da noite ou só depois das onze!! Não entendi essa!
Bom, mas aí é isso, provavelmente amanhã a gente já vai embora, porque eu to praticamente sem dor. Mas eu tava pensando... pode ter sido bom eu ser internado, vai que o Dr. Rodrigo pensa “deixa eu agilizar esse transplante, antes que esse pâncreas dê mais trabalho!” heheh Tô brincando, tem nada a ver. O que pode ajudar, ele falou, é o fato de eu ter engordado um pouquinho!

Beijão e abraço pra todo mundo aí!

sábado, 9 de outubro de 2010

EPOPÉIA 5

Opa!

Bom, ontem fui fazer raio-x do meu dedão né, aí hoje saiu o resultado.., tá tudo certo! Só faltava essa né, quebrar o dedão do pé! heheheh
Então, voltando pra epopéia! No domingo de manhã eu fui entubado. Mas tem umas coisas que aconteceram antes mas lembrei só agora. Quando eles começaram a ver que meu pulmão tava meia boca, me colocaram pra fazer BiPAP (Bilevel Positive Airway Pressure). É assim: eles põem uma máscara na sua cara (só ficam os olhos pra fora) pra você respirar. Só que é muito forte, é um furacão o lance... você tem que fazer força pra expirar o ar. Meu, é horrível, eu odiava aquilo, seca a boca... e você não pode relaxar, porque tem que fazer força pra respirar, senão só entra o ar. E eu tinha que fazer isso sempre, pro pulmão receber mais oxigênio... ficava todo mundo falando “vai, tem que fazer pelo menos uma horinha agora, vai, senão vamos ter que te entubar...” Falavam que os velhinhos adoravam BiPAP, que não queriam parar, que dava barato! Hahaha mentira meu, aposto! Impossível gostar daquilo... e não dava barato!
E outra coisa, pra se ter uma idéia da sensibilidade do médico. Antes de eu ser entubado, ele virou pra minha mãe, sem ela perguntar nada, e falou “é, porque o Renato tem no máximo mais uns seis meses de vida”. Sério! E ela tava sozinha nessa hora. Imbecil o cara, como pode? E ela não contou pra ninguém isso.. .ficou com isso na cabeça! Por isso que ela ficou daquele jeito... chorava quase o dia inteiro, e não tinha ninguém que conseguisse acalmar minha véia! Mas claro né, com uma noticia dessas!
            Bom, mas agora voltando ao ponto que eu tinha parado no último post. No fim o tal do BiPAP não funcionou, me entubaram do mesmo jeito né. Eles falaram que era pra ajudar a abrir o pulmão. Aí então começaram a me dar antibiótiocos. Mas estavam muito pessimistas... falavam que eu estava muito fraco por causa das três cirurgias, e que não reagia aos antibióticos. Eles trocavam os antibióticos por outros mais fortes e nada.
            Durante esses dias que eu estava apagado, eles tentavam convencer os enfermeiros e médicos a deixarem minha mãe ficar lá, de novo. E é um lance que eu não entendo, esses protocolos sem sentido nenhum. Porque, se o paciente tá nesse estado, é muito importante a energia da família ali do lado. Aliás, qualquer coisa é válida nessas horas. Mas não adiantava, eles não liberavam! Não sei o porque, mas se apegavam a essa regra e não olhavam pras pessoas. Meio desumano até. Imagina, você com um irmão, filho, ou namorado, quase indo pro saco, e uns mané falando que você não pode ficar perto dele! Então eles ficavam revezando, porque mesmo nos horários de visita (meia hora), podia só três pessoas no quarto, e eram cinco pessoas lá né, meus pais, do Du, o Daniel e a Jack.
            Quem mais batia de frente com os médicos eram meus irmãos. E tinham algumas discussões. Uma vez, uma das médicas de plantão da UTI (não sei o nome... ela ficou famosa como “a japinha” rs) falou pro meu irmão “é, mas será que não é melhor ele não acordar mais?”. Olha que sem noção! Porque eles (os médicos de plantão e o Amsterdam) achavam que, se eu sobrevivesse, eu não conseguiria viver, teria muita dor, não poderia comer... enfim, sei lá o que eles achavam, a ponto de dizer que seria melhor eu não sobreviver! Aí eles foram falar com outra médica de plantão, questionando como uma médica que achava que seria melhor eu morrer, podia ser a responsável por me tratar! E a mulher pega e fala “é, as vezes a família não quer ver a realidade, é difícil encarar os fatos...” Barbarie, meu! O Dudu ficou puto “eu sei o estado que ele tá, num sou trouxa, sei o que tá acontecendo!”. Numa outra vez, a médica responsável pela UTI virou pro Daniel e falou “olha, vamos ser claros, seu irmão vai morrer aqui e se não morrer como será que vai ser a vida dele?”. Meu, era show de horrores!
Os médicos não entendiam o fato de eles quererem acreditar na minha recuperação! Porra, chega uma hora que o médico tem que meio que sair de cena... ser humilde e ver que ele não pode mais fazer nada ali. E deixar a família na sua fé... e não ficar tentando “conscientizar” e acabar com essa crença, que é o mais importante num momento desses! E não estou falando de milagre, acho que é algo mais simples... é energia vital. Difícil é entender como que um médico pode achar que só ele pode interferir na vida de alguém... é muita presunção. Pra mim, isso não é médico!
Por isso que eu acho que é muito complicado ser médico, porque se ele for se envolver afetivamente com todos os pacientes, é foda, são muitas famílias, muitas perdas, mortes e tal... aí alguns acabam criando essa insensibilidade como defesa, pra não se abalar.. e pra aguentar mesmo né. Eu entendo, claro. E é um lance que não tem como se aprender na faculdade eu acho... isso nasce com a pessoa. E outra coisa, se o médico não estiver num dia bom, fique em casa. É, porque o estrago é bem maior do que algo mal feito. Então, realmente, ser médico bom é muito difícil, tem que, além de ter suas habilidades e conhecimentos, uma cabeça e uma inteligência emocional muito fortes, uma capacidade de concentração e tal. Eu não conseguiria lidar com tudo isso, por isso nunca nem pensei em ser médico! Então, se você não sabe lidar com essa confusão emocional que é ser médico, desencana. De verdade, vai ser astronauta! Mas eu conheci médicos bons também. O Dé, meu primo, bem que podia ser gastroenterologista! rs Aí eu tratava só com ele. Ele já se formou e esta se especializando, aqueles esquemas de residências e tal... É novo, e vai ser um puta médico, com certeza. Porque ele tem esse lance, essa serenidade, essa atenção pra lidar com esse lance todo... sempre foi uma característica dele mesmo. Mas enfim, acho que medicina é uma profissão diferente de todas as outras, superior até, meio que um dom mesmo, sei lá... você tá lidando com vida né. Por isso que, quando uns manés tentam ser médicos, dá essa merda toda! 
            Nessas, o Du e o Daniel já não estavam deixando meus pais falarem com os médicos. Pra não ouvirem essas barbaries e se abalarem mais ainda. E depois disso, decidiram que não iriam mais nas reuniões com a médica da UTI, que acontecia 30 minutos depois da visita do das 11h30. Somente pegariam informações com o Ricca. Só falavam com ele. Porque eles perceberam que, nessa hora, o que valia era a energia que eles tinham, então o negócio era evitar contato com essas pessoas, que pareciam querer acabar com essa energia. Aliás, um dia vieram perguntar pra eles porque eles não participavam mais das reuniões com os médicos... eles nem responderam!
            E ficou assim, eles ficavam revezando lá, tentando me passar energia de todas as formas. Meus pais começaram a fazer um lance, como se fosse reike. Punham a mão em cima da minha barriga e ficavam passando energia mesmo. Uma vez minha mãe até ficou tonta e teve que sentar, se sentindo fraca! Doido né! Meu pai também fazia muito isso! O Daniel tinha um amigo, o Silvio, que ensinou a ele um lance, que era pensar em um turbulhão, tipo um furacão verde e dourado, sobre minha barriga, e que iria ajudar. Não importava entender as coisas, o lance era acreditar que aquilo ajudaria. A Jack mandava força enquanto fazia carinho nos meus pés e nas minhas mãos! Era cada um mandando energia do seu jeito lá na UTI. O Dudu pegou um monte de coisa, objetos, religiosos ou não, e fez meio que um templozinho, um espaço de concentração... A Stella, minha irmã, em um dos dias, ligou e falou que o pai do Tomaz, um puta astrólogo ao qual ela tinha ido antes de ir pra Europa, falou pra ela que alguém da família iria passar muito mal, ia ser demorado e complicado, mas no fim ele se recuperaria e ficaria bem. E que, por isso, era pra ninguém desanimar. 
            Em uma das ligações para o Ricca, era 3ª. feira, ele disse que os dois próximos dias eram cruciais. Que tinham que rezar muito, pois caso eu não reagisse, a bactéria “venceria”. Imagino que aí tenha começado um intensivão de reza lá né! rs. Na 5ª. feira cedo, a Ligia, namorada do Dudu, ligou pra ele. Disse  que eles tinham que ir pra lá na hora, que ela tinha tido um sonho. Aí eles foram, na visita das 11h30, e reproduziram o sonho dela, em que estavam eles dois e a Jack. Eles ficaram de olhos fechados, mentalizando uma luz branca na minha barriga. E depois de uns 15 minutos em silêncio, como no sonho, eles realmente visualizaram essa luz branca.
            E esse era o dia em que terminava o prazo dado pelo Ricca. Aí, quando foi umas 16h, o Ricca ligou pro meu pai e falou que eu tinha começado a reagir e que iam começar a me desentubar. Eu acordei aos 48 minutos do segundo tempo! rs. Isso foi no dia 6 de março, meu aniversário! E tem ainda o lance do meu nome. Renato quer dizer “renascido” e Consoni, meu sobrenome, vem de con i sogni, que significa “com sonhos”! Então, renascido com sonhos é o meu nome! hehehe Doido né! Eu acho muito legal isso!
            Bom, nesse tempo em que fiquei em coma eu tava sonhando, um monte de coisa, uma puta viagem (em todos os sentidos). Depois eu conto.
                 
                Um abraço e um beijo pra todo mundo!

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

EPOPÉIA 4

Faaala!

Hoje ficamos em casa de novo. A gente ia agitar alguma coisa, mas rolou um acidente! No meio da noite tava indo fazer xixi e tomei o maior tombo! Não sei nem como, mas bati o dedão e doeu pra caramba... Puta saco, agora tá meio inchado! Era o que faltava né, depois das unhas encravadas, um dedão machucado! Aí não deu pra por tênis, então ficamos por aqui, porque já tá frio pra sair de chinelo! Agora vamos ver, se não desinchar a gente vai lá no hospital amanhã. Ah, qualquer coisa troca o dedo também, ué! Heheh
Bom, vou contar mais um pouco da epopéia...
Então, depois de uns cinco dias na UTI, na 2ª. feira a noite, eu saí e fui pro quarto. Mas eu tava bem ruim. O médico, Amsterdã, ainda tirou umas sondas que tinha em mim, já que pra ele tava tudo certo comigo. Ele, inclusive, falou pra darem um Lexotan pra eu dormir, que amanhã estaria tudo bem. E a febre não passava, era tipo 39º. Na verdade eu não lembro muito desse dia, minha mãe que me falou algumas coisas. Disse que eu vomitava muito, tava todo inchado, reclamava muito de dor, tinha falta de ar... E foi assim a noite inteira, com enfermeiros entrando toda hora. Tava bem claro que não dava pra ter me dado alta da UTI, não sei de onde o médico tirou que eu tinha melhorado.
Na manhã seguinte o Dr. Ricca entrou no quarto e disse que havia uma fístola, tipo de um buraco, na alça do intestino e que estava vazando. Aí ferrou tudo e teriam que me operar de novo. Não poderiam esperar eu recuperar da outra cirurgia, tinha que ser naquele dia mesmo, 3ª. feira. Lembro que quando me falaram que haveria outra cirurgia, pedi pra ter alguém quando eu acordasse da cirurgia, algum enfermeiro mesmo. Isso porque na cirurgia anterior, eu acordei com um tubão na garganta e era muito ruim, não conseguia engolir saliva e ficava meio desesperado, eu engasgava e tal, e não tinha ninguém do lado, e eu não conseguia falar, nem chamar ninguém... era uma sensação muito ruim, dava um medo doido, sei lá. Aí pedi pra ter alguém dessa vez, quando eu acordasse da sedação.
            Minha mãe contou que, quando me deram alta da UTI, meu pai resolveu ir pra fazenda... nessa época tava construindo a casa lá, então tinha sempre um monte de coisa pra resolver e tal. Achando que tava tudo bem comigo, ele foi na 2ª. pra voltar na 3ª. feira. E como ele foi sozinho, minha mãe não falou nada pra não deixar ele preocupado na estrada, voltando pra SP. Aí ele chegou e foi pro hospital. Imagina a reação do velho, coitado, quando chegou lá e minha mãe falou que eu estava em cirurgia de novo. “Ô Silvia, mas o que que aconteceu? Que história é essa uai? Troço de doido?!” rs. É, porque minha mãe só falou quando ele chegou no hospital né!
            No fim, eles só limparam a região lá do intestino. Foi rápido, umas três horas de cirurgia. E depois tinha uma enfermeira quando eu acordei da cirurgia! rs. Ela tinha um lance, tipo um tubo que suga a saliva... igual aqueles que tem em dentista. Aí pôs aquilo na minha boca e beleza! Depois fui pra UTI de novo. Mas dessa vez foi pior. Tinha uma velhinha do meu lado que ficava o dia inteiro falando, com uma voz de filme de terror, “eu vou morreeeeer, eu vou morreeeeeer...”. Sério, era sinistro! Quando chegou o horário de visitas, eu tava desesperado! Aí eu devo ter reclamado tanto, que me colocaram em um quarto, que era o único quarto da UTI, reservado pra doenças contagiosas e tal... bem melhor!
            Bom, aí o problema era que a infecção tinha avançado, virou uma sepsemia. Isso é quando a infecção vai pro sangue... é a pior coisa que pode acontecer com uma infecção. O que eles faziam era, além das coisas pra dor e tal, me dar antibiótico forte. Sempre atentos ao meu estado geral, pois eu estava muito fraco, então tinha que ficar esperto, ver se eu tava aguentando o tanto de medicação e tal. No sábado, minha familia conversou com os médicos e pediu pra deixarem minha mãe ficar lá comigo, o que não era permitido. Mas ela tava toda mal, e insistiram até que deixaram. Nesse dia, eu sentia muita falta de ar, calor... pedia pra abrir a janela. Eu tava bem agitado, já sem ter muita noção das coisas. Ela disse que uma hora eu falei “que vontade de entrar numa piscina”. Eu não lembro disso, mas imagino que devia tá com bastante calor então né! rs. Mas quando chegou a noite, não deixaram ela ficar, não podia dormir lá... na verdade, nem tinha onde, e ela teve que ir embora.
Em casa, ela não conseguia dormir, tava ansiosa, aflita. E quando deu umas 7h da matina ela levantou, colocou umas coisas numa malinha e foi pro hospital. A pé mesmo, nem acordou meu pai. Chegando lá, tocou a campainha na entrada da UTI, e os caras falaram pra ela esperar um pouco, que estavam me dando banho (é, banho deitado na cama, com paninhos, bacia e tal... gente te virando e você não conseguindo mexer nem um dedo, só vendo e torcendo pra acabar logo... sei lá o que era aquilo, mas não dava pra chamar de banho!). Aí eles não vinham, deixaram minha mãe esperando lá... Até que veio um cara e falou que eu havia piorado muito durante a noite... Meu pulmão estava muito fraco, com pouca oxigenação, e eles tiveram que me entubar. É meio que um coma induzido... uma sedação forte, em que você fica apagado. Minha mãe então entrou, me viu e tal, mas logo teve que ir embora. Não deixaram ela ficar dessa vez.
Agora vem a parte que eu comecei a ter aqueles sonhos doidos... os médicos falavam aquelas barbáries sobre mim... Aí amanhã eu falo disso, vou até conversar com meus pais, meus irmãos e a Jack, que viram tudo isso de perto, pra pegar mais detalhes direito e tal.

Um abraço e um beijo pra todo mundo aí!

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Oba!!!
E aí! Hoje estamos por aqui, demos uma caminhada na rua do prédio mesmo e beleza. Depois a enfermeira veio aqui colher sangue pros exames e tal. A cada duas semanas ela vem. Agora acho são 40 tubinhos de sangue pra exames! rs. E hoje tirei uma foto do nosso possante, pra vocês ficarem com inveja!

Abração pra todo mundo!

Esse é o nosso possante! E minha mãe, pra foto ficar mais bonita!!!

Fala!

Hoje eu tô bem cansado mesmo. A gente foi no shopping, não compramos nada, e depois fomos no mercado. Até aí beleza, a gente sempre faz isso! Só que a gente se perdeu no caminho, aí demos a maior volta! Mas pô, se for ver, considerando que a gente é bem perdido, sempre fomos né (pra quem não conhece minha mãe e me acha meio lesado... eu puxei a ela! Desculpa minha véia, mas é verdade, vai!)... até que a gente demorou pra se perder aqui! rs A cagada é que o shopping tem várias saídas, mais de dez eu acho, e a gente saiu por uma diferente hoje. Aí quando a gente tava desconfiando que tava perdido, eu vi um estacionamento. Era igualzinho a um que tem no caminho! Aí eu confundi! Heheh Mas meu, também, tem 2341540985087 estacionamentos nessa cidade! É impressionante!
Bom, aí por isso eu já vou deitar... é, porque pra completar, eu tô com  as unhas dos dois dedões do pé encravadas! Descalço é sussa, mas enche o saco quando põe o tênis! Eu num sei direito, acho que minha unha nasce torta, pra dentro! É mais um defeito de fábrica, eu acho! rs Lembro que na primeira vez que encrencou essas unhas eu tava em São Joaquim. Era carnaval, acho que era a primeira vez que eu ia pular mesmo, em vez de só fazer guerra de bexiga d’água no Guarujá! Devia ter uns 13 anos. Era muito bom o carnaval lá, era daqueles de salão, no clube da cidade, o Espigão! A idade mínima pra entrar era 14 anos, mas o tio Pedro falava lá com o cara do clube e a gente conseguia entrar. Era animal! A gente fazia esquenta antes e ia. Nessa vez, lembro que o esquenta era com a turma da Ana Helena, minha prima. Eu e o Dé ficávamos lá, junto com elas. Eu pegava uma latinha de breja, tomava metade e me achava malandrão! heheh Era legal! Mas depois, quando tinha uns 15 anos, aí a gente fazia o esquenta com a nossa turma já! É, aí era profissa meu, tinha camiseta e tudo. A gente conseguia patrocínio até meu! Lembro que, nas férias de janeiro, já começava a agitar as paradas. A gente era os Mano Braw! heheh com “a” mesmo, Braw! Tenho até hoje as camisetas!
Ah, mas então, aí teve um dia que meu dedão do pé (não lembro se eram os dos dois pés) ficou bem inchado, com infecção e tal. Aí a Tia Maria Helena... tadinha, sobrou pra ela. Ela foi lá e desencravou! E eu fui pro carnaval, não queria nem saber... Ainda ficava mostrando pra todo mundo o dedão todo zuado! As amigas da Anê vinham “ô tadinho dele”... e eu pensando “aaah se eu fosse uns anos mais velho, pegava todas”... crente né, não pegava nem as da minha idade! rs
Aliás, isso é uma questão pra irmãos caçulas. Porque sempre tem as amigas dos irmãos mais velhos que ficam “olha que bonitinho... aí que liiiindo”, apertam sua bochecha e tal. Mas você, o caçula enganado, nunca imagina que todas te vêem como o irmãozinho pequenininho, fofinho da amiga delas! É sacanagem! Lembro de uma vez: eu tava na minha sala, na 5ª. série, e o Dudu com as amigas na janela, ele era da 7ª série, e elas ficavam falando “que bonitinho” e apontando pra mim né! Eu olhava pros meus amigos com cara de “é, eu sou foda, eu sei!”, e eles, alguns caçulas também, concordavam comigo! Aí eu era o cara... é, por esse lado era legal! Heheh
                Mas aí beleza, vou dormir mais cedo hoje. Agora que eu vi, escrevi “vou deitar” lá em cima! rs

Abraço e beijo pra todo mundo!

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

E aí!
Então, hoje ficamos em casa tranqüilos. Já esta mais frio aqui. Faz bastante sol ainda, mas agora esfriou bem... Os caras já até fecharam a piscina do hotel, cobriram com uma lona e tal. Mas é engraçado, porque será os caras fecham... e se eu curto nadar no frio? Se eu pegar uma pneumonia é problema meu ué, cada louco com a sua loucura! Mas é coisa de americano isso... os caras são civilizados demais, é exagerado até! Têm lei e norma pra tudo... Se alguém entrar na piscina é capaz de tomar uma multa!
Ontem fez um mês que chegamos aqui! Independente de quanto tempo iremos ficar, já passou o primeiro mês... maravilha! A cirurgia está mais perto e a minha volta pro Brasil também né! Tava pensando... antes de vir pra os EUA, o que eu achava que ia estar rolando depois de um mês. Acho que é assim mesmo que eu imaginava, eu na fila de espera e tal. Pensei que faria a cirurgia lá pelo dia 10 de outubro... de repente ainda rola nessa data.
E é estranho isso porque, ao mesmo tempo que eu tenho certeza que vou fazer essa puta cirurgia, não tem como saber quando vai ser né. Mas eu acho que vai acontecer quando eu estiver preparado. Assim... eu me sinto pronto, mas acho que nem sempre a gente tá pronto quando pensa que tá... Ainda mais pra algo que não se sabe exatamente o que vai ser. É, porque os médicos podem explicar cada detalhe mil vezes, mas eu só vou entender o impacto de um transplante multivisceral quando acontecer em mim... claro! Então, não dá pra saber o que é estar preparado pra isso, já que, de certa forma, eu não sei o que é isso. E outra coisa, vai acontecer quando for pra acontecer. É, porque se você for ver, são muitos os fatores que precisam se cruzar pra esse dia do transplante acontecer... não gosto nem de pensar em cada um deles, mas envolve muita coisa mesmo né. E pra mim, o que determina isso tudo é uma força, uma energia... sei lá, algo maior, cada um vê isso de uma forma. Eu acho. Até mesmo porque, independente de qualquer coisa, se não fosse esse algo maior, seria o que, o acaso, uma coincidência? Meu, tem que ser muito louco, mas muito mesmo, pra achar que uma coisa tão grande, tão importante, poderia acontecer do nada... de repente! Sério, nem se o cara fosse ateu, agnóstico e niilista né! 
Bom, mas enfim, aí quando eu estiver preparado e for o momento, essa porra desse pager vai tocar! Por isso eu fico na minha, vou me preparando do meu jeito... e torço pra esse dia chegar logo! Não tem muito o que fazer além disso... então eu não faço, eu espero! heheh
A rotina aqui tá beleza... não vejo como pudesse ser muito diferente do que está sendo. Conhecemos uns lugares legais, vamos ainda conhecer outros... um dia ainda alugaremos um carro e tal rs. E vamos indo! Não sei se minha mãe concorda, tem que ver com ela! rs. Na verdade a pior coisa é a distância daí... Muita saudade da família, da Jack, dos amigos... e acho que fica pior porque a gente não sabe quando volta  né, aí dá uma ansiedade...
Sexta-feira recebemos uma carta do centro de transplante dos EUA. De útil (que a gente não soubesse) falou de um lance que chama Meld Score. É uma classificação usada pra definir a necessidade do transplante. Vai de 0 a 40. Se você tá muito zuado, precisa logo do transplante senão já era, sua pontuação é 40. Se você tá bem, pode esperar tranquilão, sua pontuação é 5. E é dividido em 4 níveis: menos que 10; de 11 a 18; de 19 a 25; e de 26 a 40. O meu Meld Score é 20, então eu tô no terceiro nível. Sei lá, acho que é bom. Preferia que fosse 40 pra agilizar o lance né... mas acho que aí eu ia tá todo podre, esperando pelo transplante no hospital, internado e tal... é, acho que 20 tá beleza!

Valeu aí todo mundo!